Cálculo da Taxa de Inflação

NOTA:
Para os mais curiosos fica o link para a explicação desta matéria pelos peritos do INE.     Backup


Definição:
Se Pt é o nível médio de preços corrente e Pt-1 é o nível médio de preços há um ano atrás, a taxa de inflação durante o ano pode ser medida da seguinte forma:

O nível médio de preços é indicado pelo Índice de Preços no Consumidor (IPC). Para este não interessam todos os bens do PIB (por exemplo, não interessam as chapas de ferro, ou o sulfato manganês). Para calcular o IPC define-se um conjunto de bens que se consideram representativos das compras típicas do consumidor médio. As variações desse cabaz de bens serão devidas às variações de preços dos vários bens ao longo do tempo e desta forma se avalia a inflação.
A taxa de inflação pode ser medida de várias formas. Como o IPC é calculado todos os meses, a variação desse índice é a taxa mensal de crescimento. Mas nós habituámo-nos a raciocinar em taxas anuais de inflação. Assim, o crescimento que o índice teve ao longo do ano (por exemplo, de Janeiro de 2007 a Janeiro de 2008, ou de Abril de 2008 a Abril de 2009) chama-se taxa homóloga. Mas esta é muito variável e, além disso, esconde realidades muito diferentes. Por exemplo, uma taxa de 8% pode ser o resultado de uma subida ao longo do ano, ou de uma manutenção do índice com uma subida brusca no fim, ou de uma subida seguida de descida parcial. Por isso, calcula-se uma outra taxa: a taxa média. Esta taxa é a variação percentual da média do índice nos últimos 12 meses em relação à média dos 12 meses anteriores.

1. Explicita os seguintes conceitos associados à taxa de inflação:
a) IPC;
b) Taxa de variação mensal;
c) Taxa de variação homóloga;
d) Taxa de variação média.

2. Indica - consultando o site do INE - os valores da taxa de variação homóloga, em Dezembro de 2017, no Continente, para as seguintes rubricas:
a) Total excepto habitação
b) Total excepto produtos alimentares não transformados e produtos energéticos
c) Total excepto produtos alimentares não transformados
d) Total excepto produtos energéticos
e) Produtos alimentares não transformados
f) Produtos energéticos

3. Indica em que grupo do ponto anterior:
a) Os preços subiram mais;
b) Os preços subiram menos;
c) Os preços desceram mais;
d) Os preços desceram menos.

4. O Índice de Preços pode calcular-se com base constante, isto é, sempre com o mesmo ano base (2011=100 significa que 2011 é o ano base), ou com base móvel. O IPC em cadeia calcula-se tomando como base de cálculo em cada ano t, o ano anterior, t-1.
4.1. Completa a tabela no ficheiro de ajuda com Taxa de Inflação de 2003 a 2017.

4.2. Indica em que ano:
a) Os preços estavam mais baixos;
b) Os preços estavam mais altos;
c) Os preços subiram mais;
d) Os preços subiram menos;
e) Os preços desceram mais;
f) Os preços desceram menos.

4.3. Explicita o conceito de taxa de inflação implícito neste exercício.

4.4. Interpreta para 2017:
a) O Valor do Cabaz;
b) O Índice de Preços no Consumidor com 2011=100;
c) O Índice de Preços no Consumidor em cadeia;
d) A Taxa de Inflação.

Análise Económica II - 2017

Nas Contas Nacionais, o Quadro A.0.1 - Principais indicadores económicos (anual) sintetiza a evolução da economia portuguesa no período 2012/16.

1. Indica o ano em que o PIB:
- cresceu mais rapidamente
- cresceu mais lentamente
- caiu mais lentamente
- caiu mais rapidamente

2. Recordando a estrutura da despesa em 2011, indica como se calcularam os contributos, em pontos percentuais, das componentes da despesa interna em 2012.

3. Em 2012, interpreta o contributo para a variação do PIB, em pontos percentuais, das seguintes rubricas:
- Consumo privado
- Consumo público
- Formação bruta de capital
- Exportações
- Importações

4. Que relação se verifica entre os contributos para a variação do PIB e a tcv do PIB.

5. O valor Capacidade (+) /necessidade (-) líquida de financiamento do Resto do Mundo é o simétrico do apresentado para o Total da economia. Justifica.

6. “Portugal é um avião a jacto com 4 motores, mas só um está a funcionar”. Justifica esta metáfora do Governador do Banco de Portugal, Carlos Costa, comentando a evolução das componentes da Procura Global em 2012 e 2013.

7. Identifica as duas rubricas que mais contribuem para o crescimento do PIB em 2014, 2015 e 2016. Justifica.

8. Constrói e interpreta um gráfico que apresente as taxas de variação real do Consumo Privado e do Rendimento disponível bruto das famílias e ISFLSF.

9. Constrói e interpreta um gráfico que apresente as taxas de variação nominal das Remunerações e dos CTUP, Custos do trabalho por unidade produzida (CTUP nominal).

10. Constrói e interpreta um gráfico que apresente as taxas de variação real do PIB e das componentes da Procura Global.

Gráficos

A taxa de desemprego de agosto foi de 8,8% - Setembro de 2017

  • A taxa de desemprego de agosto de 2017 situou-se em 8,8%, menos 0,1 pontos percentuais (p.p.) do que no mês anterior e menos 0,4 p.p. em relação a três meses antes. Aquele valor representa uma revisão de menos 0,1 p.p. face à estimativa provisória divulgada há um mês e corresponde ao valor mais baixo observado desde novembro de 2008 (8,9%).
    A população desempregada de agosto foi estimada em 451,7 mil pessoas, tendo diminuído 1,5% em relação ao mês precedente (menos 7,1 mil pessoas), enquanto a população empregada foi estimada em 4 709,5 mil pessoas, tendo aumentado 0,1% (mais 6,9 mil pessoas) face ao mês anterior.
    A estimativa provisória da taxa de desemprego de setembro de 2017 foi de 8,6%. Neste mês, a estimativa provisória da população desempregada foi de 442,0 mil pessoas e a da população empregada foi de 4 716,7 mil pessoas.

    Nas estimativas divulgadas neste Destaque, é considerada a população dos 15 aos 74 anos e os valores são ajustados de sazonalidade.
    Estatísticas do Emprego, Destaque do INE, Outubro de 2017
A Taxa de Desemprego é a percentagem de desempregados entre a População Activa.

Distingue-se a Taxa de Desemprego em sentido lato da Taxa de Desemprego em sentido restrito em função do conceito de desempregado:

Considera-se desempregado em sentido lato, o individuo com idade mínima de 15 anos, que não se encontra a frequentar o ensino obrigatório, e que reúne simultaneamente nas seguintes situações:
- está sem trabalho;
- está disponível para trabalhar.

Considera-se desempregado em sentido restrito, o individuo com idade mínima de 15 anos, que não se encontra a frequentar o ensino obrigatório, e que reúne simultaneamente nas seguintes situações:
- está sem trabalho;
- está disponível para trabalhar;
- procura trabalho, isto é, tenha realizado diligências para encontrar um emprego, nos últimos 30 dias.

A Taxa de Actividade é a percentagem da População Activa relativamente à População Total (ou residente).
A População Activa inclui os maiores de 15 anos que, no período de referência, constituem a mão-de-obra disponível para a produção de bens e serviços que entram no circuito económico, quer os que estejam empregados, quer os que estejam desempregados à procura de emprego.
Os desencorajados já não procuram emprego, incluindo-se na população inactiva, bem como os que se encontram a cumprir o serviço militar obrigatório, crianças, reformados e inválidos.

O Gráfico abaixo apresenta os valores destas variáveis para 2015.



1. Com base na imagem acima, calcula a Taxa de Actividade, indicando as operações.

2. Com base na imagem acima, calcula a Taxa de Desemprego, indicando as operações.

3. Interpreta a Taxa de Actividade calculada em 1..

4. Interpreta a Taxa de Desemprego calculada em 2..

5. Utilizando as taxas de desemprego, referentes a Setembro de 2017, no Quadro 2 (p.5) do destaque acima referido, justifica:
- o género mais penalizado pelo desemprego;
- o grupo etário mais penalizado pelo desemprego.

6. Constrói um gráfico a partir dos dados no PORDATA, que evidencie as diferenças na Taxa de Actividade entre os géneros (F/M) e entre Portugal e a União Europeia. Publica-o no blogue e interpreta-o. Preview

7. Constrói um gráfico a partir dos dados no PORDATA, que evidencie que a Taxa de Desemprego afecta de forma diferenciada os diversos grupos etários. Publica-o no blogue e interpreta-o. Preview

8. Constrói um gráfico a partir dos dados no PORDATA, que evidencie que a Taxa de Desemprego afecta de forma diferenciada em função do nível de escolaridade concluída. Publica-o no blogue e interpreta-o. Preview

9. Constrói a partir da população desempregada por nível de escolaridade completo - Masculino e Feminino um gráfico que evidencie como a Taxa de Desemprego varia com o género (M/F) e com a o nível de escolaridade. Publica-o no blogue e interpreta-o. Preview

Série CN - C11/17

Actividade inspirada no último teste.

Carga fiscal diminuiu para 34,4% do PIB – 2016

Recurso

O INE apresenta um destaque em que comenta a evolução recente da carga fiscal.

Tarefa

I Parte

Copia para o blogue o Resumo do destaque, e inclui ao longo deste, as sete (3 gráficos e 4 quadros) imagens do PDF que sustentam as respectivas afirmações.
NOTA: Assinala nas imagens os valores referidos no texto.

II Parte

1. Admitindo que Portugal deseja aproximar a sua fiscalidade da média da UE, indica que impostos deverá descer/subir?

2. Apenas relativamente aos seis países fundadores da UE (CEE, 1957), compara Portugal com estes, quanto ao peso das contribuições sociais efectivas na carga fiscal.

Uma resposta

Escolha Múltipla, 2014, 1ª Fase, 1-12

Seleccione a opção correcta e justifique detalhadamente as questões 5, 7, 8 e 11. Blogues pares (ímpares) justificam ainda a opção nas questões 1, 2, 3 e 4 (6, 9, 10 e 12).



Correcção